Associados CECAM: Arquitrama Feiras e Exposições | B B O Eventos Promocionais | Biblioteca de Idéias Comércio de Estandes | Icemark Locações | JMC - Publicidade Promoções e Merchandising | LPR Locação de Bens Móveis | Macctub Arquitetura e Desing | Metro Quadrado Estandes | MGM Loc. de Bens Moveis Ass. Desing e Montagens Prom. | MMLA - Macrox Montagens Loc e Serv. Latin America | Publistand Promoções e Empreendimentos | Secta Locação de Bens Móveis

Clipping Jornal Valor Econômico

Feiras de negocios tern impacto de R$ 16,3 bilhoes ao ano

Os profissionais que atuam no mundo de feiras de neg6cios costumam dizer que ha quatro mandamentos basicos que garantem o sucesso de um evento: visitar, comer, comprar e dormir. Em todos os quesitos, Sao Paulo pode se considerar aprovada com louvor - sao cerca de 300 mil m 2 de pavilhoes de exposic; oes, 430 locais de hospedagem (hoteis, flats e pousadas), 84 shopping centers, 15 mil restaurantes e 20 mil bares. Grac; as a esta estrutura, Sao Paulo reune cerca de 7 0% das principais feiras de neg6cios do Pais. De acordo com a Uniao Brasileira dos Promotores de Feira (Ubrafe), o impacto das feiras de neg6cio na capital paulista e de R$ 16,3 bilhoes anuais, dos quais R$ 7 ,3 bilhoes sao de recursos gerados pelos eventos em hospedagem, alimentac; ao, compras, transporte e lazer.
 
Mesmo com a crise economica, o fluxo de turismo de neg6cios deve ser mantido em 2016, ainda que menos exuberante. "Deveremos ter eventos mais modestos e compactos, mas o publico continuara sendo qualificado", afirma Salvador Zimbaldi, secretario especial de Assuntos de Turismo da Capital. Na pratica, serao feiras com estandes menores e com menor numero de expositores, mas que continuarao atraindo uma media de 60 mil a 7 5 mil visitantes, conforme o tamanho e a importancia do setor. E o caso da Couromoda, evento do setor calc;adista e de couros, cuja 43 a edic;ao aconteceu na primeira semana de janeiro, no Expo Center Norte. Para atender o grande fluxo, a organizac; ao disponibilizou 10 vans para o transporte gratuito entre a estac; ao Tiete do metro e o pavilhao. Segundo a assessoria de imprensa do evento, a edic; ao de 2015 registrou a presern;a de compradores internacionais de 52 paises.
 
 
"Comparado com 2014, houve uma queda de 10% a 12% no numero de visitantes. Mas como temos feiras consolidadas ha mais de 40 anos, o interesse deve continuar em 2016, tanto por parte de visitantes brasileiros como estrangeiros", acredita Armando Arruda Pereira de Campos Mello, presidente executivo da Ubrafe.
 
Mesmo na crise, Sao Paulo devera ganhar novos espac; os para feiras. Para este ano, esta prevista a conclusao das obras de modernizac; ao e ampliac; ao do Sao Paulo Expo (antigo Centro de Exposic; oes Imigrantes), que vai ganhar mais 60 mil m 2 em area de exposic; oes, alem da revitalizac; ao dos atuais 42 mil m 2 , alem de uma area de estacionamento pra 4.500 carros. Esta previsto ainda o edital de licitac; ao para modernizac; ao do Centro de Exposic; oes do Anhembi, o mais antigo local de feiras de Sao Paulo, inaugurado no inicio da decada de 7 o. Defasado, sem sistema de ar condicionado, o Anhembi ganhara uma serie de investimentos e tera uma arena multiuso com capacidade para 20 mil pessoas. Sem data definida, ha projeto de ampliac; ao do Expo Center Norte em mais 30 mil m2 .
 
Na rede hoteleira, havera a inaugurac; ao de cinco novos hoteis de luxo nos pr6ximos tres anos, que acrescentarao novos 1,2 mil apartamentos aos hoje 43 mil existentes. Na regiao central, sera reinaugurado o Ca'd'Oro, desativado ha dez anos, que ocupara uma torre de 28 andares, de uso misto. Outro empreendimento (sem bandeira definida) vai ocupar o espac; o do antigo Hospital Matarazzo, na regiao da avenida Paulista. Os demais serao da rede Accor, ainda sem bandeira definida.