1

Entrevista | Manoel Rodrigues da Costa Filho, Diretor da Alphaplug Infraestrutura em Eventos

Diretora da Alphaplug e Diretor Administrativo e Financeiro do Sindiprom-SP fala sobre segmento de infraestrutura no setor de eventos

Com experiência em serviços de infraestrutura para eventos de mais de 30 anos, a Alphaplug Infraestrutura em Eventos atua nas áreas de instalação elétrica, hidráulica, ar comprimido e locação de equipamentos como: geradores de energia, compressores de ar, transformadores, sistemas de iluminação e painéis de distribuição elétrica para grandes e pequenas cargas. É reconhecida pela qualidade, seriedade e eficiência com que executa seus contratos, sendo uma referência de liderança no mercado de eventos. Conversamos um pouco com Manoel Rodrigues da Costa Filho, Diretor da empresa para saber mais sobre o setor de infraestrutura em eventos:

1. A importância da infraestrutura elétrica para eventos.
Embora não muito valorizada, a infraestrutura é um dos fatores essenciais para o sucesso de um evento e, sendo de qualidade, garante o perfeito funcionamento dos estandes e equipamentos expostos, assim como a proteção do patrimônio e a segurança das pessoas que visitam e expõe seus produtos e serviços.

2. Quais os principais cuidados que os profissionais devem ter na instalação elétrica de um projeto?
Como na Alphaplug, os profissionais que atuam nesta área devem estar comprometidos com o planejamento e segurança, utilizando materiais apropriados para cada aplicação, pessoal treinado, técnicos e engenheiros responsáveis para cada área de atuação.

O serviço de infraestrutura elétrica em eventos vai muito além de um fornecimento técnico, há que se avaliarem as capacidades disponíveis nos espaços de exposição, distribuindo a energia de acordo com as demandas solicitadas por expositores, serviços de alimentação, máquinas e demais equipamentos, fazendo com que cada evento tenha a sua característica própria. A Alphaplug mantém um serviço de gerenciamento de informações, que controla todas as solicitações feitas pelos expositores do evento, servindo para orientar a equipe de instaladores e o promotor, auxiliando na cobrança de taxas referentes à energia elétrica e outros serviços.

3. Como você vê hoje o consumo de energia elétrica durante os eventos?
É preciso lembrar que a energia fornecida pelas concessionárias de energia, cada vez mais cara e com tarifas reféns das bandeiras coloridas, pode atravessar um período turbulento como em 2002, ano do racionamento de energia. A crise econômica de 2015/2016 e o compasso de espera de 2017 afastaram os riscos, mas, se considerarmos qualquer crescimento da economia e olharmos para a situação de nossos reservatórios, que já é baixo e deve continuar em queda, o risco de apagões e racionamento parece inevitável. Hoje as hidroelétricas respondem por menos de 60% do fornecimento restando para as termoelétricas completar de maneira suja nossa matriz energética.

4. Como resolver a questão da energia de maneira sustentável?
Não está distante o tempo em que os centros de exposições e eventos deverão tomar providências para essa realidade, com investimentos que contribuam de fato para um sistema elétrico sustentável, a exemplo da fonte solar fotovoltaica em franco crescimento em nosso país, que já aparece no seleto grupo das 30 nações que mais investem em energia renovável, limpa e de baixo impacto ambiental por meio do sol.

5. Além disso, em sua opinião o que precisa ser revisto para melhorar os serviços de infraestrutura e fomentar o mercado de eventos? 
Será preciso, além das fontes, rever a maneira e o alto custo da energia elétrica cobrada, que hoje tem, como consequência, afastado a participação de empresas com diminuição expressiva na demonstração de máquinas e a exposição em projetos de estandes mais modestos.  É preciso também que as taxas sejam calculadas com referência nos custos da energia fornecida pelas concessionárias e dos serviços de infraestrutura, hoje desvinculados e considerados como uma “commodity”, que não são.

É hora de repensar e olhar a infraestrutura em eventos pelo significado da palavra que, na sua acepção mais alta, pode ser definido como um conjunto de elementos estruturais que enquadram e suportam toda uma estrutura.